CHEGADA NO BRASIL

Os quatro pioneiros da missão brasileira (Ir. Alfonso, Ir. Angélico, Ir. Wenceslau e Ir. Giovanni. O Irmão ao centro é o Ir. Alessio, superior do Distrito da Itália, na época.
Convite e envio

 

Os Irmãos de São Gabriel chegaram no Brasil em 07 de janeiro de 1949, após aceitarem o apelo missionário feito por Dom Hugo Bressane de Araújo, bispo de Guaxupé - MG, de vir assumir a direção do Ginásio Cônego Leopoldo em terras brasileiras. 

 

Dom Hugo, a princípio fez uma proposta em 1947 aos Irmãos de São Gabriel do Canadá, através do Cardeal Eugênio Tisserant. Mas os Irmãos do Canadá tinham assumido a pouco um projeto missionário na Malásia. Repassaram então o pedido para o Distrito da Itália. Depois de muitas cartas, de encontros, de dúvidas e sonhos, a resposta foi positiva. Vendo neste pedido a mão da Providência Divina, o Distrito da Itália enviou ao Brasil quatro jovens Irmãos: Ir. Alfonso, Ir. Angélico, Ir. Wenceslau e Ir. Giovanni (sendo respectivamente Arnaldo Bellucci, Rocco Carlacci, Francesco Matassa e Francesco Santirocchi seus nomes de batismo).

 

Os primeiros Irmãos partiram de Gênova, em 23 de dezembro de 1948, com as bençãos do Papa Pio XII, que os havia recebido alguns dias antes no Vaticano, chegando no Rio de Janeiro na primeira sexta feira do ano de 1949. Pouco tempo aí ficaram, indo rapidamente para a cidade mineira de Carmo do Rio Claro. Os Irmãos foram calorosamente acolhidos pelos carmelitanos. Houve, alguns dias depois, uma grande festividade na cidade, num 15 de Janeiro, data que foi oficializada como a data da fundação da Missão dos Irmãos no Brasil.

Os primeiros anos no Brasil

 

Aos poucos, outros Irmãos Italianos foram chegando para auxiliar na direção de outros colégios que foram sendo criados ou assumidos pelos Irmãos de São Gabriel. A congregação enviou 3 novos em 1951, 2 em 1952, 1 em 1953 e 4 em 1954... de 1958 a 1964 mais 8 chegaram. Neste período o número de Irmãos enviados ao Brasil já chegava a 22 e já havia sido criado o Colégio Montfort (atualmente Escola Estadual Monsenhor Mário Araújo Guimarães) e o Seminário São Gabriel (antigo Ginásio Cônego Leopoldo) em Carmo do Rio Claro; o Colégio Santa Rita (atualmente escola Estadual São Gabriel) em Cássia; e o Ginásio Antero Tôrres e o acompanhamento do Lar Dom Bosco em Bambuí.

Em 1966 a Província de Poitiers, França, passou a ser responsável pelo Distrito do Brasil e passamos a contar também com a presença de Irmãos Franceses e Indianos (2). Em pleno período ditatorial no Brasil, a congregação passou por uma grande crise, comunitária, administrativa, vocacional... Por um lado a chegada de Irmãos de outra nacionalidade criou dificuldades de convivência (diferenças de padrões culturais, hábitos, alimentação, etc...); por outro lado os Irmãos tinham dificuldades legais de manter os colégios criados, que acabaram sendo transferidos (doados) compulsoriamente ao governo; com todas estas dificuldades alguns irmãos começaram a repensar sua vocação e por fim decidiram sair da congregação. Também os jovens brasileiros que ingressaram no Seminário São Gabriel a partir do ano de 58, enviados posteriormente à França para os estudos religiosos, saíam aos poucos e voltavam para o convívio de suas famílias.

Período de dificuldades e  renovação

 

As dificuldades enfrentadas pela congregação na convivência entre os irmãos, a saída de muitos dos irmãos estrangeiros e a não permanência dos irmãos brasileiros gerou uma série de incertezas, mas a partir deste momento difícil uma nova orientação surgiu: os Irmãos passariam a direcionar seu trabalho à orientação pedagógica de meninos carentes e/ou abandonados por suas famílias. Isto traz novos ares para a congregação, desafio para os Irmãos que permaneceram no Brasil. Seria esta uma volta providencial ao espírito fundacional de São Luís de Montfort de estar atendo aos mais carentes?

 

Em 1968 os Irmãos assumem a Escola Profissional Irmã Luiza - EPIL, que acolhia orfãos, em Diamantina. Neste mesmo ano Ir. Natal funda uma instituição em Carmo do Rio Claro denominada "Promenor - Promoção Educacional do Menor". No próximo ano são criadas duas novas comunidades: a Belo Horizonte, onde os irmãos iriam se dedicar aos trabalhos sociais e pastorais, e a de Passos, onde logo foi criado por Ir. Natal um projeto social semelhante ao que ele tinha iniciado a pouco em Carmo do Rio Claro. Este foi chamado de CAPP - Centro de Aprendizagem Pró-Menor de Passos.

Novas comunidades iam surgindo, antigas iam sendo deixadas para trás... De um trabalho exclusivamente escolar os irmãos passaram a executar um trabalho muito mais amplo. A educação continuou sendo nossa missão principal, mas agora, uma atenção muito particular aos mais necessitados, os preferidos do Reino de Deus, ia se firmando. Os irmãos estavam atentos à formação acadêmica e profissional, cristã e humana, moral e social, isto de alunos que muitas vezes não tinham nem mesmo o que comer. Eram internos, que passavam todo o dia aos cuidados dos irmãos... Também nas pastorais os irmãos faziam-se presença da Igreja nos meios populares. O Distrito do Brasil ia formando uma identidade que permanece até hoje em nossas comunidades, obras sociais e pastorais que acompanhamos. 


(Adaptado do Livro "História dos Irmãos de São Gabriel no Brasil, 2007 - Ir. Maurice Rocheteau, fsg)